Skip to main content

BEBÊS PODEM SER ANTI SOCIAIS?

Bebês podem ser anti sociais? Muitos pais observam que seus filhos, ainda com poucos meses de vida, parecem não gostar da companhia de outras crianças. Mesmo quando o bebê sorri e brinca em casa, ele parece mudar quando é levado ao parque ou a casa de outras pessoas onde poderia interagir com outras crianças.

Se isso está acontecendo com seu filho, não se preocupe. A única coisa que está fora do lugar são as suas expectativas.

Até atingirem mais ou menos 10 meses de idade os bebês não demonstram muito interesse em interagir com outras pessoas, exceto aquelas que eles vêem todos os dias e que os alimentam. Isso tem a ver com uma coisa chamada permanência do objeto.

Vamos dizer que o bebê está mexendo com um brinquedo. Se você, delicadamente e com jeito tirar esse brinquedo e colocar outro no lugar, ele não vai prestar atenção na mudança. Mas em um futuro próximo, geralmente aos 10 meses, você vai notar uma mudança dramática nesse comportamento.

Na prática, o bebê começa a mudar quando começa a perceber que os objetos com os quais ele interage continuam existindo mesmo quando ele não pode vê-los. Agora ele vai chorar se você tirar um objeto que está com ele, ele vai ficar animado quando ver o brinquedo favorito, e vai olhar em volta, procurando, se por um acaso o objeto desejado não estiver bem na frente dele. Ele também vai começar a prestar atenção em outros bebês.

Prestar atenção em outros bebês não significa interagir com eles. Os bebês normalmente fazem uma coisa que é chamada de “brincadeira paralela”, o que significa que eles se sentem bem usando um brinquedo ao lado de outro bebê, mas eles continuariam se sentindo bem usando seus brinquedos em quartos separados.

Para o adulto que observa, os bebês brincando em jogos paralelos parecem ignorar um ao outro. E se isso é tudo o que eles vão fazer, então porque deixá-los juntos? O ponto aqui é que eles precisam passar por essa fase.

Você pode não perceber mas, de vez em quando, esses bebês olham um para o outro e aprendem sobre como brincar igual o outro. Essas interações eventuais de hoje são as bases para as amizades duradouras de amanhã.

É um processo lento, por isso não espere muita coisa em pouco tempo. Ao longo dos próximos 12 ou 24 meses, ele vai olhar mais e mais para as outras crianças e vai aprender com elas, e você vai até observar um comportamento que parece muito com cooperação e generosidade. Mas não é. O que você está vendo na verdade é um jogo de ação ao vivo, chamado “Regras de Propriedade – Criança em Ação”. Funciona mais ou menos assim:

Se eu ver, é meu. Se eu estou segurando, é meu. Se você está segurando, e eu quero, é meu. É meu e uma vez que algo é meu, é meu para sempre, por isso nem sequer pensar em tentar tirar isso de mim.

Da mesma forma que o jogo paralelo, estas regras são parte natural do desenvolvimento infantil e ainda vai demorar um tempo antes que o bebê possa imaginar que outras pessoas também podem ter sentimentos.

Apesar de tudo isto, existem algumas coisas que você pode fazer para ajudar seu bebê, com menos de dez meses, a desenvolver amizades:

  • Coloque o bebê em situações onde ele vai estar perto de outros bebês.
  • Não espere que eles brinquem juntos, você pode no máximo dar alguns brinquedos e depois não se envolver mais.
  • Se seu bebê é tímido, retraído ou fica agitado, não force a situação.
  • Limite esses encontros com outros bebês a no máximo alguns minutos.
  • Louvada seja qualquer coisa que se pareça com generosidade ou comportamento social, mas não espere isso durante muito tempo.